Por que o cão é a cara do dono?

Você já ouviu essa frase antes: o cão é a cara do dono? Mas será que existe alguma verdade nela, ou será que é apenas uma expressão? Hoje, vou te explicar razões pelas quais alguns cães são, de fato, parecidos com seus donos em alguns afetos.

Para começar, de forma simples, vou explicar o porquê dos 3 fatores que influenciam o comportamento dos cães, 2 estão sob responsabilidade direta das pessoas. Vamos lá:

O comportamento dos animais é influenciado pela GENÉTICA, pelo AMBIENTE e pelo APRENDIZADO. A genética é algo hereditário, que passa de uma geração para outra. É influenciada pelos pais do cão e não temos nada a fazer após a concepção do futuro cãozinho. Já os outros 2 fatores estão sob influência diretas das pessoas e é aí que começamos a formar cães com a ‘nossa cara’.

Por que o cão é a cara do dono?

Concorda que são as pessoas as responsáveis pelo ambiente onde o cão vive? Um ambiente previsível, calmo, equilibrado terá influência direta na vida do cão. De forma oposta, um ambiente incoerente, raivoso e agitado exigirá do cão comportamentos adaptativos para que se adeque a este contexto. Também são as pessoas as responsáveis pelo aprendizado do cão. Se ele late e ganha um biscoito, se ele pula na visita e ganha atenção ou se ele puxa a guia e, mesmo assim, consegue se aproximar do seu objetivo, é pouco provável que o cão apresente um comportamento no sentido oposto.

Porém, se existir coerência de todos da casa em relação ao que pode e o que não pode fazer, são grandes as chances dele demonstrar um comportamento equilibrado e desejável ao longo da sua vida.

Agora, imagine um cão que é super ativo (genética), e vive numa família grande que adora festas (ambiente) e pode fazer o que tiver vontade sempre que quiser (aprendizagem). Este cão realmente será a cara do dono: agitado, festeiro e com poucas regras a seguir. Vamos, agora, imaginar um cãozinho medroso (genética), que vive numa casa com constantes situações de conflito entre as pessoas (ambiente) e que é punido sempre que faz algo supostamente errado (aprendizagem). O que teremos é um cão com comportamento inseguro, tímido e reativo.

Entenda como funciona a visão dos gatos

Tem quem não admire a beleza dos olhos dos gatos? Eles são intensos e chamam a atenção, mas já parou para pensar como funciona a visão dos gatos? Se você acha que eles enxergam como nós, está enganado. Os gatos não enxergam tantas cores, mas também não veem em preto e branco como muitos pensam.

Se você é um apaixonado por felinos e ama saber tudo sobre gato, então vai adorar entender como funciona a visão dos gatos. Os pequenos veem o mundo de forma diferente, e por isso, vale a pena se aprofundar mais neste assunto para saber como estimular eles com brincadeiras e brinquedos interessantes para o seu desenvolvimento.

Nossa retina possui três tipos de cores que são capazes de captar o azul, vermelho e verde, o que permite que enxerguemos uma variedade enorme de cores. Conforme alguns estudos, os gatos reagem apenas às cores violeta, azul, verde e amarelo, com isso, o bichano não consegue ver um espectro tão rico de tons. Como resultado dessa condição, a visão dos gatos é embaçada e eles não conseguem ver os detalhes de objetos.

Sabendo disso, provavelmente você está se perguntando de onde vem a fama de bons caçadores se eles não enxergam bem. Apesar de não terem uma visão capaz de distinguir muitas cores, eles são capazes de detectar qualquer movimento. Isto também é reflexo do campo de visão dos gatos, que é de 200° – o nosso é de 180°. Tal característica permite que o animal tenha uma visão panorâmica mais ampla.

Quando se fala em percepção de cores, a visão dos felinos é inferior a nossa, mas este cenário muda quando o assunto é a visão noturna. O gato enxerga no escuro cerca de 6 a 8 vezes melhor do que nós, e isso se deve a presença de muitos bastonetes na visão, que é um componente da retina responsável pela recepção de luz no escuro. Essa capacidade visual dos gatos não significa que eles enxergam na escuridão completa, mas sim, que são capazes de maximizar a luz do ambiente, mesmo que pouca.